quarta-feira, 22 de novembro de 2017

DARK DIMENSIONS FOLK FESTIVAL 2017 : Um Ragnarök subequatoriano no Dia da Bandeira !

"Gente linda aos montes, no palco e fora dele!" : essa definição seria o resumo mais raso, fútil e mundano possível do DARK DIMENSIONS FOLK FESTIVAL de 2017. Mas é meio inegável que essa tribo Viking-Tupinambá da América dos Trópicos é um dos povos mais lindos do heavy metal, vamos combinar. E esse tipo de fifizice eu não deixo passar batido. *rs*

Cartaz do Festival (divulgação)

E todo esse beautiful people se reuniu em peso no Carioca Club Pinheiros para curtir ARMORED DAWN, ELVENKING, KALEVALA e ENSIFERUM no último dia 19 de Novembro. Muita gente caprichou no figurino, na maquiagem, e entrou no "Lai Lai Hei da Alegria".

As VikQueens fazendo cara de Helga pra sair nórdica na foto.  (foto: Bianka Hali)
Um prazer imenso voltar ao Carioca Club, aliás. É uma casa redondinha: bem estruturada, bem localizada,  com um botequinho supimpa pra fazer "esquenta" lá fora, e ainda precinhos módicos e petisquinhos honestos lá dentro. De qualquer lugar do salão dá pra ter uma boa visão do palco, e o mais importante:  rola uma acústica bem legal lá dentro. E particularmente, eu sou só elogios para a equipe de pessoal, também. Sempre me senti bem atendida e bem recebida lá, inclusive pelo proprietário, um figuraça gente boníssima e muito querido por todos em volta, que não pára de trabalhar e socializar com absolutamente todo mundo. (*risos*). Mas dessa vez disseram que ele tá dodói. Uma pena, esse foi o tipo de evento que ele teria gostado de ver. Não é todo dia que a casa enche de princesas guerreiras e barbudos de cara pintada, bebendo hidromel em chifres.

A very dear Priscilla Rodrigues, o casal de tops Bianka e Regis, a lutadora Liih Neres (XTreme Gold Team), o guitarrista Renato Domingos (Armahda) e o superfotógrafo Edu Lawless. (foto: Bianka Hali)

Quem não tivesse seu próprio drinking horn, poderia comprar nos estandes que vendiam e expunham outros itens de cultura folclórica nórdica. Martelos, escudos, acessórios...e hidromel. Na divulgação do evento também estavam anunciadas umas lutas nórdicas...Não sei se eu que não prestei atenção, mas fora uma rodinha de bêbados sorridentes, não lembro de ter visto luta, não...😔

An Elvenking and a Hobbit Princess...  (Foto: Liih Neres)

Com a casa já bem cheia, nossos anfitriões brasileiros do ARMORED DAWN iniciaram os trabalhos um pouquinho mais tarde do que o previsto, mas parece que a galera não se incomodou. E todo mundo entrou no coro na hora de "Gods Of Metal". Não sei dizer se é a melhor faixa deles, mas que com certeza é a mais contagiante, apaixonante e delicinha de curtir ao vivo, pra mim é mesmo..! Gente, cês sabem que eu não resisto: quanto mais power, mais metal, mais "heróico o brado retumbante" da pohatoda soa, mais empolgada eu fico.

É que eu ainda não consegui achar um vídeo desse momento do Dark Dimensions Folk Festival...  mas se você nunca teve a experiência de presenciar Armored Dawn no palco, --> clique aqui <-- e veja como ficou a situação no último show no Tropical Butantã, com o De La Tierra. Povo tem razão, eu preciso entrar no Século XXI e ter um celular com câmera... *rs*

E, de fato, LEMBRAR de tirar as fotos, ao invés de ficar...err.. "roubartilhando" dozamigue.

Com Liih Neres e o baterista Rodrigo Oliveira (Armored Dawn)

É impressionante como a banda tem crescido como o novo destaque nacional no cenário mundial. Formada por talentos reconhecidos no underground em bandas como Eterna, União, minha amazônica Glory Opera e, of courseMad Old Lady. Além de contar com o baterista Rodrigo Oliveira da icônica banda thrash Korzus. Mas sente o nível: a  Armored Dawn tem música rolando na rádio e vídeo clipes cinematográficos. Olha só! :




Da Rússia (apesar do nome em alusão ao Épico da Gênese Finlandesa), vem o KALEVALA, para nosso palco. Essa banda traz a marcante influência da música "Sami", o povo original da Escandinávia e Lapônia. A influência vêm dos pais da vocalista, que são finlandeses. Confesso que nunca tinha parado pra ouvir esses caras antes do show, e me impressionei. Ainda mais ao vivo, mandam muito bem.





Os italianos do ELVENKING trazem um folk bem melódico, alegre e cheio de fantasia, numa vibe meio trombada de Rhapsody com Skyclad. Recentemente eles lançaram seu novo álbum "Secrets of The Magick Grimoire", e levaram ao frenesi os fãs que há muito esperavam por esta apresentação no Brasil. Show bom de pular, dá uma conferida nesse vídeo que achei pelo Youtube!




Pra fechar na martelada, mais uma vez o ENSIFERUM decretou o palco do Carioca território finlandês. Aliás, a única banda sem nenhum laço "biológico" com a Finlândia a subir no palco foi o Elvenking... mas querem saber uma curiosidade interessante? os Finlandeses NÃO ERAM VIKINGS. *risos*. Os Vikings eram de fato escandinavos (não,os Finlandeses também não são escandinavos) e provenientes da Noruega, Suécia, Dinamarca, Islândia e Ilhas Faroé. 
Mas que isso não desmereça o inspirador espírito épico de batalha de Petri Lindroos e sua turma. Com destaque para a sanfoneira Netta Skog, que também é bem inspiradora...


Assim rolou mais um evento memorável pra curtir boa música com os amigos, colecionando histórias (muitas), fotos (poucas) e transformando nessas resenhas sem nenhum valor crítico, mas recheadas de lembranças boas que vão ficar para sempre..!

Minha única "reclamação" (tá mais pra "sugestão"): faltou um folk mais brasileiro para representar. Não na origem, mas na sonoridade. E não é por falta de banda, não..! Brasilzão tá cheio de"forró-metal e heavy-baião" pra colocar no palco. 

Amei cada minuto, e não vejo a hora do próximo arrasta-pé!


Nenhum comentário:

Postar um comentário