sábado, 29 de agosto de 2015

Mindf*uck

  Que a nossa é a era da vaidade e do culto ao corpo como objeto sexual, acho que muitos de vocês concordam. Mas é justamente este último que me sugere uma análise interessante através ^dessa imagem acima^.

Se é que tem alguma fifi desinformada do babado aê, os modelos são o belíssimo cantor Belo, e sua desposada valquíria fitness Gracyanne Barbosa.

Se alguém ainda não reconheceu, dá uma olhada nessas fotos mais antigas...

ele era frontman de uma banda de pagode chamada Soweto (nem da banda você lembra, eu sei) , e ela era coelhinha, ou pelo menos já devia curtir uma cenourinha.
Isso, agora que cês já refrescaram a memória, bora voltar pra foto de cima, aquela espécie de MMA eqüino dos sonhos de uma sutil insinuação de fantasia centáurica, quimérica, biunissexualizada.

 Eu fico imaginando se isso é pra ser sexy, ou um novo tipo de Renascentismo moderno. Te juro que dá um nó na minha cabeça. Sexualmente, prefiro nem me aprofundar na análise... Só não acho NADA inspirador (não me dá t*são absolutamente nenhum) Ainda mais saber de como ele tratou a ex-mulher, que o apoiou incondicionalmente enquanto ele estava na prisão por tráfico e associação com o  tráfico de drogas e porte ilegal de armas. Assim que foi solto, ele a trocou pela tal Gracyanne. Hoje, já faz tempo que ela deu a volta por cima e está em outras, mas até tatuagem teve que tirar...





























É isso aí, amiguinhos. Tem certas coisas que simplesmente não dá pro meu cérebro conceber começando sobre como esse SER conseguiu o apelido de BELO, e ainda teve uma esposa bonita e fiel a lhe apoiar nas piores das piores horas, quando se pá nem ela mesma acreditava na inocência dele... Pra ser assim *puf*, descartada.







...







Gente, cês juram que eu tô escrevendo FOFOCA sobre PAGODE aqui?...



...que decadência!

Nenhum comentário:

Postar um comentário