domingo, 23 de março de 2014

Capítulo #2: As coisas mudam.


 Os dias e e-mails foram passando exatamente conforme o previsto: longos, muito longos. Ele me contava sobre seu relacionamento turbulento e a falta de jeito de resolver a situação. Paralelamente, começamos a ter conversas via Skype com uma certa freqüência, que aumentou muito quando começou a turnê no Japão.

No básico, ele não era muito diferente dos caras mais legais que conheci na Finlândia: Tinha um senso de humor mais afinado com o meu do que a maioria dos homens brasileiros. Era calado, sorria sem mostrar os dentes, mas com uma sinceridade gostosa que fazia meu coraçãozinho romântico se derreter (ui!). Em pouco tempo, aprendi a distinguir quando ele estava sóbrio, bêbado, de bom ou mau humor, só de ler suas frases no chat. Acontece quando se passa quase 20h por dia teclando com a pessoa, acredite.

E, é claro, aprendi a descobrir quando ele estava me enrolando. Eu não falava nada, claro, mas quando ele fazia questão de deixar a história o mais vaga possível, é porque tinha algo a ver com a noiva, ou até outras mulheres. As coisas já estavam nesse ponto: ele estava se tornando deveras infiel, e já não tinha mais tanta preocupação em esconder isso durante as turnês.

"Meu amor, eu sou gata escaldada." - pensava enquanto lia e relia os e-mails dele, com um sorriso de orelha a orelha. Ele reconstruiu nossa história- desde que nos conhecemos até aquele momento- muitas e muitas vezes. Era lindo, era tudo que eu sonhava em um homem, era tudo que eu já havia encontrado em um amor no passado e até aquele instante, eu tinha certeza de que havia perdido. Eu não sabia se estava preparada para outro amor de backstage, ainda mais depois de uma experiência tão...intensa.

Não, eu estava curtindo, dando corda até me enforcar naqueles olhos verdes que agora eu só podia ver borrados pela webcam. Deixava minha imaginação viajar em todos os sentidos naquele romance virtual, dizendo pra mim mesma zilhões de vezes, que sabia que aquilo nunca sairia disso.


"Ei, gata, eu estive pensando...Tenho uma turnê longa nos Estados Unidos, e depois um bom tempo livre. Que tal se a gente aproveitasse para você me mostrar essas belezas naturais brasileiras de que você tanto fala? 
           Do seu,
                             Kimi

PS* Eu não quero forçar a barra, mas você pode me responder o mais rápido possível? Tenho pouco tempo para marcar as passagens..."





MOR-RI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário